Um elemento que distingue a empresa brasileira da americana é a maneira com que ambas são planejadas. Enquanto o empreendedor nacional cria o seu negócio de maneira fixa e pontual, sem perspectivas de expansão, os americanos agem em escala. Seus empreendimentos já nascem preparados para a ampliação, o que facilita o crescimento a médio e longo prazo.

Uma das situações em que os americanos saem na frente quanto à concepção de um empreendimento refere-se ao controle de mão de obra. Na abertura da primeira unidade, já existe uma plataforma capaz de monitorar, por exemplo, o registro de ponto e a assiduidade dos colaboradores, em diversas unidades, o que favorece a sua ampliação.

Em se tratando do controle de funcionários, o ideal é a conversão de um modelo de monitoramento pontual, para uma central que processe mais de uma unidade, utilizando um sistema capaz de apurar todos os registros de ponto, de uma só vez, através de um portal mantido em nuvem e acessado de qualquer parte do mundo.

Além das características de um software genérico de ponto, encarregado de calcular horas, faltas, extras e banco, uma central de gerenciamento coletivo ainda pode trazer funcionalidades como envio de boletins aos colaboradores e outros recursos, o que facilita a substituição de um profissional, em caso de ausência.


Órgãos públicos também adotam

Com a tendência dos órgãos públicos realizarem gestões de resultado, como acontece com as empresas de alto desempenho, o sistema de monitoramento coletivo também tem sido adotado com eficiência por unidades governamentais. Imagine uma prefeitura, com suas diversas secretarias, interligadas por uma central que informe ao RH a pontualidade e frequência de um colaborador, onde estiver. Tal proposta não só é viável como tem sido oferecida por uma marca nacional sediada no Vale da Eletrônica, no sul de Minas Gerais. "Não só produzimos estes tipos de solução, como oferecemos o produto para avaliação gratuita, por 45 dias." - conta Bruno Ribeiro, Diretor da RWTech, fabricante de sistemas de monitoramento remoto e relógios de ponto digitais.

Sobre a RWTech
Sediada em Santa Rita do Sapucaí, cidade mineira conhecida como "O Vale da Eletrônica", a RW foi a primeira empresa brasileira a desenvolver e registrar, junto ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o novo Registrador Eletrônico de Ponto (REP), de acordo com as normas da Portaria 1510/09. A RWTech faz parte de um grupo empresarial com a Enterplak, especializada em terceirização de montagem de placas e produtos eletroeletrônicos, com carteira de clientes composta, inclusive, de empresas multinacionais. A sinergia entre as empresas do grupo faz com que todas as etapas do processo produtivo sejam plenamente contempladas, seja com seus próprios produtos, como de seus clientes.

Fonte: Assessoria de Imprensa - Take Five Propaganda

Disponível em: http://exame.abril.com.br/negocios/dino/noticias/controle-remoto-de-funcionarios-facilita-a-ampliacao-de-unidades.shtml

Website: http://www.rwtech.com.br